segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A Esperança














Depois de vencer a guerra com o seu pai Cronos, Zeus decidiu povoar a terra e deu aos titãs Prometeu e seu irmão Epimeteu a tarefa de criar os seres vivos.


Epimeteu, que significa "ideia que surge depois do acto" encarregou-se da obra e Prometeu, que significa "premeditação", de supervisiona-la depois de pronta.

Epimeteu atribuiu a cada animal diferentes qualidades (coragem, força, rapidez, sagacidade, asas, garras, carapaça protectoras, etc...) e quando chegou a vez de criar o homem, que deveria ser superior a todos os outros animais, gastara todos os seus recursos. Pediu então ajuda a Prometeu que colocou o homem na posição bípede, lhe deu uma Moral e o domínio sobre o fogo, que foi roubar aos deuses.

Zeus jurou vingar-se. Primeiro sobre a humanidade, e depois sobre Prometeu, e criou algo de muito perigoso, que deleitava os olhos pela suavidade e beleza, pois todos os deuses lhe concederam dons: Pandora (dádiva de todos) foi a primeira mulher.

Hefestos moldou a sua forma a partir de argila, Afrodite deu-lhe beleza, Apolo o talento musical, Deméter ensinou-lhe a colheita, Atena deu-lhe habilidade manual, Poseidon deu-lhe um colar de pérolas e a certeza de não se afogar, e Zeus deu-lhe uma caixa, a Caixa de Pandora, que continha todos os males que poderiam atormentar o homem.

Prometeu sabendo da ira de Zeus, recusou Pandora, mas Epimeteu aceitou-a.

Quando esta abriu a caixa e viu todos os males saírem, fechou-a rapidamente mas só conseguiu reter lá dentro aquele que iria acabar com a Esperança, único bem que continua a ser o conforto da humanidade nos momentos de infortúnio.


Mais tarde Zeus ordenou que Prometeu fosse acorrentado a um rochedo do Cáucaso, onde todos os dias um abutre se ia alimentar do seu fígado.

Só então surgiram os Vendedores de Esperança que subrepticiamente infiltraram a Política, a Religião e a Saúde.

1 comentário:

Anónimo disse...

Não gostou da música que lhe deixei no meu blogue, dedicada a si??? Rita Ferro