quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Terceira idade


Nunca gostei de palavras enganosas.
Um Lar de Idosos é uma solução extrema quando as outras alternativas falham, pois retirar um indivíduo permanentemente do seu ambiente familiar, é uma violência comparável à prisão.

Nos lares, há de tudo. Gente culta, amiga e capaz, mas também há quem espere uma qualquer fragilidade para revelar o seu oportunismo.
É desses que eu me lembro quando ouço - "Oh avozinho!" ... "Oh meu amor!" ... "Oh tiozinho!" ... , expressões que a coberto de um pseudo-carinho indiciam algum desrespeito.

De igual modo vejo desfaçatez nos nomes "românticos" de algumas empresas que fornecem estes serviços, para tentar "adocicar" as dificuldades dos que lá irão cair.
Lar Idade de Ouro, Residência Bella Vida, Jardim do Éden, Casa da Sabedoria, Casa dos Sonhos, Casa da Poesia, Clube Fénix One, Lar Chuva de Prata, são nomes mais adequados a residências universitárias, onde toda a esperança se joga, do que a Lares de Terceira Idade onde se espera e paga ajuda nos cuidados básicos da vida e alguma atenção e respeito.

Com Portugal a caminho de um imenso lar de idosos, estes nomes criam a ilusão de que a solução é "mais aceitável" do que ela na realidade é.
Tenho dito.

2 comentários:

Alima das Cartas disse...

Achei interessante o seu post na medida em que conheço a realidade dos lares espanhóis e portugueses (por ter trabalhado neles e visitado alguns) e mesmo assim não gosto deles.

Infelizmente existem mais idosos que lares ditos legais. E infelizmente os lares ditos legais são caros para chuchu e os que têm comparticipação da segurança social, têm uma lista de espera bem grande.

Os lares são uma solução sim, na minha opinião. As casas são cada vez mais pequenas, por norma todas as mulheres trabalham logo ao contrário do antigamente, não lhes é possível tomar conta dos mais velhos. Além disso a longevidade tem aumentado cada vez mais, e os filhos destes idosos em pouco tempo chegam aos sessenta anos e já não têm condições físicas para ajudar alguém com mobilidade ainda mais reduzida.
Pelo menos falo pela experiência que estamos a passar com a minha avó.

Os lares são uma solução para combater a solidão e o abandono. São uma solução para evitar o desgaste físico e mental de quem toma conta de idosos. Passei um mês de férias da faculdade inteiro a fazer companhia à minha avó e de férias não tive nada, ou porque ela não dormia, ou porque ela acordava a meio da noite e deambulava às escuras com o risco de cair, ou porque amuava e resolvia não comer, ou pior! quando cismava que não tomava a medicação, ou porque era uma chatinha a fazer sempre as mesmas perguntas...

São uma solução para aumentar o estímulo cognitivo por causa das actividades como rezar o terço, fazer ditados e cópias, tratar de uma mini-horta ou até descobrir o gosto pelas artes.

Sim, há muitas coisas a mudar nestas instituições a começar pela idoneidade de quem lá trabalha...

Eu também não gosto de lares, mas sei que são bem melhores que muitas "cuidadeiras" que para aí andam.

capitão disse...

Às vezes penso que a culpa é do presépio. Aquela família não é para velhos.